Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Bolhão: Associação de Feirantes do Porto "triste e indignada" com destino traçado para o mercado

14 de Dezembro de 2007, 18:42

 

Porto, 12 Dez (Lusa) - A Associação de Feirantes do Distrito do Porto manifestou hoje "tristeza e indignação" com o destino traçado para o Mercado do Bolhão, que vai ser renovado por uma empresa holandesa.

Em nota enviada à Lusa, o presidente da associação, Fernando Sá, considera "lamentável que se tenha de entregar a concessão de um espaço camarário a terceiros para o reabilitar".

O texto sublinha que "é por demais sabido, que projectos não faltaram", nomeadamente o do arquitecto Joaquim Massena, na década de 80 do século passado.

Na opinião dos feirantes portuenses, o projecto de Massena teria a vantagem de "manter vivo o tecido físico do mercado, com novos conceitos de uso, novas funções e valências e novos horários de funcionamento".

Fernando Sá lamenta que não tenham "servido para o Bolhão os milhões dos anteriores quadros comunitários", e pergunta porque "continuam a não servir os do actual QREN"

"Será apenas falta de vontade politica dos sucessivos executivos camarários que se debateram com esta questão?", interroga-se.

Os feirantes portuenses atribuem às obras do metro do Porto o facto do edifício, "ou pelo menos parte dele", estar em perigo de ruínas, e acham curioso que a empresa do metro "nunca seja responsabilizada pelas suas acções"

Para a associação há quem queira "fazer crer que o Bolhão continuará a ser o Bolhão, aquele onde se entoam pregões desde 1850 e que atrai à cidade milhares de visitantes, mas tal não é de acreditar"

"Os que entoam os pregões, os comerciantes, poderão ser gravemente prejudicados", sustenta o texto dos feirantes portuenses.

Referem ainda que o projecto vencedor será concretizado, "mais uma vez, em detrimento da cultura, dos usos, dos costumes, da tradição, do respeito, e sob o poderio dos grandes grupos económicos".

"Esperamos que o IPPAR não se esqueça deste exemplar da arquitectura civil comercial na sua avaliação", afirma o documento, lamentando que "os movimentos cívicos que, em época de eleições se moveram pelo Bolhão, não se manifestem".

O presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, anunciou, quarta-feira, que a empresa de capitais holandeses Tramcrone venceu o concurso para a renovação do Mercado do Bolhão, com uma proposta de investimento de 50 milhões de euros.

Em conferência de imprensa, Rui Rio referiu que "o objectivo é que o Mercado do Bolhão abra dentro de dois anos, no Natal de 2009".

O autarca disse também que, antes que as obras se iniciem, é necessário ainda que o projecto de execução seja elaborado e aprovado pelo Instituto Português do Património Arquitectónico (Ippar).

O "novo" Mercado do Bolhão vai manter a traça original e partilhar a área comercial tradicional com novas lojas, cerca de metade das quais de cultura, lazer e restauração.

A Tramcrone vai construir dois pisos subterrâneos para cargas e descargas e estacionamento, com capacidade para 216 automóveis, e um piso intermédio entre os dois actuais pisos comerciais.

LM/FZ.

Lusa/fim

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D